Faithlife Corporation

Não Apenas Conhecer, Mas Praticar a Palavra de Deus

Notes & Transcripts

Série: A FÉ QUE AGE

Sermão: Tiago 1:19-27

Pregador: Pr. Rodrigo Serrão

Não Apenas Conhecer, Mas Praticar a Palavra de Deus

Introdução

O que difere o campeão do medíocre é a prática.  Ninguém se torna um Michael Phelps sem muita disciplina e muito treinamento.  A rotina de treinamento do Phelps para as olimpíadas de Pequim incluíam, 12 a 16 quilômetros de natação diária, musculações todos os dias pela manhã, exercícios cardiorrespiratórios fora da piscina (como caminhada, corridas, pedalar, etc) como também exercícios para grandes altitudes. 

  • Ninguém vence uma maratona sem uma rotina diária de treinamentos.
  • Ninguém vence a Volta da França (Tour de France) somente pedalando nos finais-de-semana.

Na vida cristã não é diferente.  O autor de Hebreus no capítulo 12 nos manda correr com perseverança a carreira que nos está proposta.  O autor aos Hebreus compara a vida cristã com um esporte (atletismo) e nos manda perseverar (praticar).  Ou seja, na vida cristã para sermos campeões, precisamos praticar, ter disciplina, perseverar no caminho.

Paulo em 1 Cor 9:24-26 também usa esta analogia da corrida com a vida cristã.  Ele diz, “Numa corrida, são vários os que correm, mas um só ganha o prêmio. Que cada um de vocês corra como se fosse aquele que vai ganhar.  Os atletas renunciam a tudo para afinal vir a ganhar um prêmio corruptível , mas nós fazemo-lo por um prêmio divino que nunca mais perderá o seu valor.  Portanto corro direito ao alvo, não às cegas. Neste combate eu luto para ganhar. Não luto contra figuras imaginárias.

O que Paulo está dizendo é que se não olharmos para a vida cristã como os grandes atletas olham para suas carreiras nós não ganharemos a corrida.  A mesma seriedade que leva um grande atleta a renunciar tudo o que o leve a diminuir seu desempenho esportivo, deve ser a forma como encaramos a nossa vida cristã (renunciando todo o pecado que tão perto nos rodeia).

E porque devemos andar desta forma?

Elucidação Bíblica

O versículo 18 nos diz que Deus nos criou pela palavra da verdade para sermos os primeiros frutos de tudo o que ele fez.  Eu e você somos a coroa da criação de Deus.

Deus nos criou para vivermos em harmonia com Ele, uns com os outros, com nós mesmos e com as outras criaturas de Deus (animais e vegetais).

Mas infelizmente, a queda destruiu a harmonia da criação divina e o homem se rebelou contra Deus, contra o próximo, contra si mesmo e contra a natureza.  Com a queda, o homem não mais consegue viver a altura das expectativas de Deus para ele e passa a se corromper em todas as áreas de sua vida.

O pecado passa a dominar o homem, escravizando-o e levando-o a um estilo de vida cada vez mais distante da presença de Deus. 

Este estilo de vida leva ao homem ao declínio moral, espiritual, e físico.  A degradação e miséria humana é tão grande que Deus decide destruir a raça humana, poupando apenas uma família e um casal de cada animal terrestre.

Mas nada disto havia pego Deus de surpresa ao qual já havia preparado antes da fundação do mundo o Seu filho para vir morrer por nossos pecados, recebendo em Si a ira de Deus e nos resgatando da morte.  

Deus então separa um povo desde antigo testamento para ser exclusivo Seu.  No antigo testamento o povo Hebreu que depois passou a se chamar Judeu, e nestes últimos dias a Igreja de Jesus (igreja invisível de Jesus e não prédios chamados igreja), com a ajuda do Espírito Santo que passou a habitar no coração de todo aquele que crer em Cristo.

Contudo, a conversão em cristo não significava que a ser-humano iria parar de pecar instantaneamente.  Ou que ele se tornaria perfeito.  A conversão em Cristo significava que o convertido agora seria selado em Cristo e seu nome seria escrito no livro da vida.  A conversão significava um novo nascimento.

Este novo nascimento, contudo, implicava em responsabilidades e privilégios. 

A Bíblia está cheia de promessas, mas também de mandamentos.  E um destes mandamentos de Deus é que o recém nascido em Cristo cresça espiritualmente e produza frutos. 

É na estrada do amadurecimento que os discípulos de Cristo se deparam com sua velha natureza.  Paulo certa vez disse a Timóteo que Jesus Cristo veio salvar os pecadores da qual ele era o principal. Paulo também disse que a carne lutava contra o Espírito e este contra a carne e eles se opunham um contra o outro para que não fizéssemos o que deveríamos.

É na estrada do amadurecimento que nos deparamos com este capitulo 1 inteiro de Tiago.  Primeiro, ele nos fala que Deus nos envia tribulação para que possamos crescer, amadurecer, nos tornar íntegros diante dEle e dos homens.

Depois, Tiago menciona que existem lutas que não provêm de Deus que são chamadas de tentação.  A tentação existe em parte pela presença de nossa velha natureza que nos inclina para longe de Deus e parte pela presença do Diabo que quer nos afastar de Deus.

Nesta passagem que lemos de Tiago, ele entra agora em um assunto que vai ser novamente explorado no capítulo 3, a impulsividade e o descontrole da língua.  Estes dois pecados, porém estão diretamente ligados aos relacionamentos interpessoais e são características marcantes da nossa velha natureza.    

Vocês já notaram que observamos mais facilmente o pecado das pessoas quando elas abrem a boca?  A boca fala do que o coração está cheio e quando falamos revelamos como se encontra o nosso coração. 

Os pecados que envolvem os relacionamentos são tão perigosos e tão mortais que se constitui no pecado que Deus abomina.  Provérbios 6 diz que Deus detesta aqueles que semeiam contendas entre os irmãos.   

Mas Tiago neste texto não somente nos mostra a doença, mas ele também nos diz qual o remédio devemos tomar.

E o remédio que Tiago nos apresenta é a prática da palavra de Deus.

Ou seja,

Tema   

Somente praticando a palavra de Deus é que podemos controlar o velho homem e refletir a glória de Deus em nossas vidas.

Não há como sermos pessoas que vivem de acordo com a vontade de Deus sem que o Evangelho de Jesus nos permeie e nos transforme e nos leve a praticar o que ali está escrito. 

É a prática que irá revelar quem é e quem não é, quem tem o Espírito e quem não tem, quem ama a Deus e quem não ama.

Contudo, devemos entender uma coisa, a questão aqui não é se eu consigo recitar a Bíblia de cabeça ou se eu consigo encontrar o versículo mais rápido ou se eu tenho bacharel em teologia ou mestrado ou doutorado.  A questão aqui não é teórica, mas meramente prática.  Não é nem se você conhece, mas se você pratica.  Quando praticamos a palavra, quando vivemos o Evangelho, então mostramos que somos de fato discípulos de Jesus. 

Quando praticamos a Palavra de Deus que é o Evangelho que foi implantado em nossos corações no momento em que nascemos de novo (conversão) pelo menos três áreas de nossas vidas irão refletir a glória de Deus:

  1. Iremos refletir a glória de Deus em nossos relacionamentos (v.19-21)

Deus ama relacionamentos.

Em João 13:35 Jesus diz, “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros.”

Quando Tiago fala em sermos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irarmos, ele está falando de como devemos nos relacionar. 

Ao dizer que devemos ser tardios para falar e para nos irar, Tiago está dizendo que devemos controlar nossos temperamentos, que devemos ter controle emocional.

Você já viu pessoas que dizem que vão à igreja, dizem que são crentes, mas no transito parecem que são possuídos por um espírito maligno?  Elas não respeitam pedestres, não respeitam as leis de transito, e não controlam suas emoções (elas não tardam para falar e falam palavrões e não tardam para se irar). 

  Essas pessoas têm descontrole emocional.  São os famosos pavios curtos.  E o pior, alguns se gabam disto.

“Eu sou assim mesmo, nasci assim e vou morrer assim.  Quem quiser goste e quem não quiser que se exploda.”

Existem outros que são especialistas em falar no momento em que era para ouvir.  Por exemplo, uma pessoa se aproxima para desabafar, buscando apenas um ombro amigo.  Então, a pessoa que era apenas para ouvir vomita julgamento, versículos bíblicos, ira de Deus, condenação, conselhos e mais conselhos, quando na verdade a outra pessoa só queria ser ouvida e não receber sermão.  Estas não conseguem ouvir apenas. 

Perceba que os três, o ouvir, o falar, e a ira, todos tem a ver com a língua e esta tem a ver com a comunicação que por sua vez tem a ver com os relacionamentos.

Então Tiago adverte a igreja, esses momentos de ira e descontrole emocional não trarão, produzirão a justiça de Deus.

Justiça aqui podendo significar:

  1. O descontrole emocional não produzirá a justiça que Deus quer na vida de todos aqueles que confessam Seu nome.
  2. O descontrole emocional não produzirá o veredito de Deus sobre nossas “pendengas”

Deus quer que produzamos o fruto do Espírito, que tenhamos autocontrole e que sejamos mansos (no sentido de ter mansidão e domínio próprio).

E para que isso ocorra Deus nos manda,

  1. Livrarmos-nos de toda impureza moral e da maldade que prevalece
  2. Aceitarmos humildemente a Palavra implantada em nossos corações, ou seja, obedecer ao evangelho.

Se assim procedermos veremos Deus transformar nossos relacionamentos. 

Quantas pessoas têm relacionamentos quebrados pela falta de controle.  Por serem escravas de suas próprias impulsividades.  Pelo pecado do orgulho que não admite mudança?

Deus pode e quer refletir sua glória em nossos relacionamentos, mas para isso devemos praticar humildemente a palavra implantada em nossos corações. 

Mas ao praticarmos a palavra, não apenas nossos relacionamentos irão refletir a glória de Deus, mas também nosso estilo de vida irá mudar. 

  1. Iremos refletir a glória de Deus em nosso estilo de vida (v.22-25)

Você é livre? Você é feliz?

Completamente livre para servir a Deus e ao próximo?  E em fazendo isto, você se sente realizado e feliz?

Tiago está dizendo que se praticarmos a palavra, a palavra traz em si liberdade que por conseqüência traz felicidade. 

Tudo, contudo, começa com a Palavra e como nos relacionamos com ela.  É nesta área que há divisão entre discípulos e religiosos, entre lobos e ovelhas, entre anjos e demônios. 

Jesus no final do sermão do monte nos conta uma ilustração parecida com o que Tiago nos fala nestes versículos.  Ele diz:

“Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática, será comparado a um homem prudente, que edificou a casa sobre a rocha.  E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa; contudo não caiu, porque estava fundada sobre a rocha.

             Mas todo aquele que ouve estas minhas palavras, e não as põe em prática, será comparado a um homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia.  E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa, e ela caiu; e grande foi a sua queda.”

Quem é mais feliz aquele que depois das lutas e dificuldades da vida consegue se recuperar, dar a volta por cima, e retomar sua vida e talvez ainda melhor (tribulações geram força interior, maturidade, e integridade), ou aquele que além de todas as dificuldades da vida (porque ela vem para justos e injustos – “no mundo tereis aflições”) não consegue suportá-las e cai no momento mais frágil de sua vida, levando-o a perdas irreparáveis?

A prática da Palavra não nos isenta dos dias maus, dos momentos difíceis da vida, mas nos dá a SUSTANCIA que precisamos para nos manter em pé e sairmos vitoriosos frente às tempestades da vida.  

 Tiago diz que ouvir e não praticar a Palavra é como olhar nossa imagem no espelho.

O que você vê quando se olha no espelho? Sua esposa? Seu filho? Não, você vê você!

E ao nos vermos, devemos ter a consciência de quem somos.  Quando você se olha nos espelho, você não apenas vê sua carcaça.  Você não apenas vê sua imagem abatida (a idade vai chegando...). Você vê sua imagem e você sabe quem você realmente é.  Você vê dentro dos seus olhos e você vê sua alma. 

Precisamos nos ver e saber quem somos, pois, em sabendo quem somos iremos correndo para os pés da cruz.

Contudo, se ao sairmos da frente do espelho, não levarmos conosco aquela imagem caída para onde quer que formos, não dependeremos da cruz.  

Você só cai prostrado aos pés de Cristo se você tiver a perspectiva correta de quem você é diante dEle.  E a perspectiva correta que devemos ter ao nos olharmos ao espelho é que somos seres inconstantes, pecadores, injustos, orgulhosos, faltosos em nosso amor por Deus e pelo próximo, mentirosos, blasfemos, entre tantas outras coisas. 

Somos salvos sim, mas, estamos em processo de santificação que só vem com a prática da palavra de Deus.  Só a pratica da palavra é que pode trabalhar nestas áreas que precisam ser subjugadas ao senhorio de Cristo.  Se não atentarmos para quem de fato somos, se esquecermos da nossa imagem na frente do espelho, não poderemos ser praticantes fiéis da palavra, pois acharemos que não precisamos, pois somos bons demais, santos demais, fiéis a Deus demais, etc. Este tipo de justiça própria é para Deus trapo de imundice. 

Irmãos:

 Só poderemos praticar Romanos 12:1-2 Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.  E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”

Se lembrarmos de nossa imagem ao sairmos da frente do espelho.

Só poderemos praticar Deuteronômio 16:20 “A justiça, somente a justiça seguirás, para que vivas, e possuas em herança a terra que o Senhor teu Deus te dá.”

Se lembrarmos de nossa imagem ao sairmos da frente do espelho.

Só poderemos praticar Efésios 2:10 “Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus antes preparou para que andássemos nelas.”

Se lembrarmos de nossa imagem ao sairmos da frente do espelho.

Só poderemos praticar Atos 13:47 “porque assim nos ordenou o Senhor: Eu te pus para luz dos gentios, a fim de que sejas para salvação até os confins da terra.”

Se lembrarmos de nossa imagem ao sairmos da frente do espelho.

Você tem praticado a palavra?

Você tem perseverado nesta prática?

É somente na observância da lei perfeita (evangelho de Jesus) que seremos realmente livres.  Livres para servir a Deus, livres das seduções desta era, e assim encontraremos a verdadeira felicidade.

E por fim, a prática da Palavra não somente muda nossos relacionamentos e o nosso estilo de vida, mas também a nossa religião.

Ao praticarmos a Palavra,

  1. Iremos refletir a glória de deus em nossa religião (v.26, 27)

A palavra Religião vem do latim: "religio", que significa "prestar culto a uma divindade", “ligar novamente", ou simplesmente "religar"

Em sua definição a religião é útil e se propões conectar o individuo ao seu Deus.  Contudo, em sua prática, a religião não cumpre mais o seu propósito de religar o homem a Deus. 

Na prática, religião virou sinônimo de legalismo, atraso, fanatismo, atrocidades feitas em nome de Deus, idolatria, e igreja, charlatanismo, etc.

Não se consegue mais associar religão ao evangelho, a Jesus, ao amor, paz, boas obras. 

Claro que Tiago tinha a melhor das intenções ao falar sobre religião.  Em sua cabeça a palavra religião tinha a ver com rituais externos de leitura da Palavra e adoração praticados em sinagogas. 

Contudo, Tiago já sabia que atos externos que não refletem o interior humano não são aceitáveis diante de Deus.  O que adiantava um religioso (tão honrado na sociedade em que Tiago vivia) viver dentro da sinagoga, ouvir a Palavra, meditar na Palavra, orar, chorar, desejar shalom para os demais irmãos, e quando sair, passar a falar da vida dos outros, falar mal do culto, falar palavrões, falar quando deveria está calado, falar, falar, falar e nunca controlar sua língua.

Para Tiago, toda a sua religião e suas atitudes religiosas não valiam de nada. 

A pergunta então é:

Se toda a prática religiosa, em todos os seus ritos e doutrinas não serve para ligar o homem a Deus, o que então nos liga a Deus?

Tiago responde no versículo 27: A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo.”

Irmãos, quando o CEDIN se propões a cuidar dos pobres e dos menos favorecidos, ele não está querendo fazer nada novo e nem extraordinário, está apenas querendo cumprir um mandamento bíblico e de fato ser a religião que Deus aceita como pura e imaculada.

Não queremos re-inventar a roda, queremos ser fiéis a Deus e Sua Palavra!

Isaías 1:13-17 diz, “Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação. As luas novas, os sábados, e a convocação de assembléias ... não posso suportar a iniqüidade e o ajuntamento solene!  As vossas luas novas, e as vossas festas fixas, a minha alma as aborrece; já me são pesadas; estou cansado de as sofrer.

    Quando estenderdes as vossas mãos, esconderei de vós os meus olhos; e ainda que multipliqueis as vossas orações, não as ouvirei; porque as vossas mãos estão cheias de sangue. Lavai-vos, purificai-vos; tirai de diante dos meus olhos a maldade dos vossos atos; cessai de fazer o mal; aprendei a fazer o bem; buscai a justiça, acabai com a opressão, fazei justiça ao órfão, defendei a causa da viúva.”

Zacarias 7:10 diz, “e não oprimais a viúva, nem o órfão, nem o estrangeiro, nem o pobre; e nenhum de vós intente no seu coração o mal contra o seu irmão.

 

Devemos cuidar dos pobres e oprimidos porque está é a vontade de Deus.  Deus os ama e estende a Sua graça até eles através de nossas vidas.

Outra característica da religião que Deus aceita e não se deixar corromper pelo mundo.

O mundo (o sistema mundano mal e corrupto governado por Satanás) é muito astuto.  Ele seduz o individuo para que este se afaste de Deus e seja ele o seu próprio deus.  O mundo, através dos meios de comunicação, da cultura popular, dos valores, do materialismo, das grandes corporações, até mesmos das religiões, quer ditar como as pessoas devem se comportar e quer se colocar acima da Palavra de Deus. 

Tudo o que o mundo ensina é contrário a Palavra.

Por exemplo:

  • A Palavra ensina a ser manso e oferecer a outra face, o mundo ensina a pagar na mesma moeda.
  • A Palavra ensina a amar a Deus em primeiro lugar, o mundo ensina a amar a si próprio em primeiro lugar.
  • A Palavra ensina a não amar o dinheiro, o mundo ensina a se conseguir dinheiro a qualquer custo.
  • A Palavra ensina a não se ter ídolos, o mundo é uma fábrica de ídolos.

 

Entre tantas outras coisas.  Tiago nos manda observar a Palavra, praticar a Palavra para não se levar pelo mar de corrupção que o mundo joga sobre os homens.

Somente a prática diária, uma vida que intencionalmente decide ser obediente a Deus é que pode ter a força necessária para vencer esta luta.

Que Deus nos ajude a ser este tipo de pessoas que prefere ter sua vida guiada pela Palavra e nela encontra vida, do que viver comendo o lixo que o mundo oferece.

Portanto, quando praticamos a Palavra muitas coisas podem acontecer conosco.

Seremos transformados em nossos relacionamentos e em nosso autocontrole.

Seremos libertos e seremos felizes por servir a Deus

E por fim, seremos praticantes da verdadeira religião que é cuidar dos menos favorecidos e não se deixar corromper pelo sistema mundano.

Que Deus nos ajude a sermos fiéis praticantes de sua Palavra e em assim sendo sermos agentes transformadores da nossa sociedade, influenciando a todos a viverem o Evangelho de Jesus.

Amém.

Oremos!

RELATED MEDIA
See the rest →
Get this media plus thousands more when you start a free trial.
Get started for FREE
RELATED SERMONS
See the rest →