Faithlife
Faithlife

FRUSTRADOS COM DEUS

Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 32 views
Notes & Transcripts

INTRODUÇÃO

Você já experimentou a sensação de estar frustrado com Deus? Sabe aquelas ocasiões em que nosso coração está cheio de fé, certos de que Ele nos dará o que a Ele estamos pedindo, mas a resposta não vem. Demora. E, então, quando a resposta chega, é totalmente diferente do que havíamos pedido.
As pessoas costumam reagir de formas diferentes nestas ocasiões. Há aqueles que se fortalecessem e dizem para si mesmos: "Deus certamente está cuidando de mim", ou ainda, "Deus sabe o que faz… a vontade dEle é a melhor… não a minha vontade, mas a Tua Senhor".
Mas, a maioria dos cristãos não agem assim. A grande maioria se sente decepcionada, frustrada quando o agir de Deus parece não ser a melhor coisa para a sua vida.
E, então, frustrados com a resposta de Deus, os cristãos têm diversas reações: deixam de orar, desanimam de ler a Bíblia, começam a não achar tão importante a comunhão dos santos, se esquecem dos dons espirituais que Deus deu a eles para servirem aos outros, e por aí vai.
Na frustração, a lógica é: se Deus não faz por mim o que eu tanto gostaria, se Ele e nem ninguém se importa comigo, eu também não devo ficar tão preocupado com os outros.
Mas, o que Deus pensa de nossas frustrações? Na Bíblia, quando pessoas ficaram frustradas com Deus, como Deus reagiu diante desta situação?

A FRUSTRAÇÃO DE JONAS

Vocês se lembram da frustração do profeta Jonas? Abra sua Bíblia comigo em e vejamos como o profeta de Deus, além de frustrado, ficou irado com Deus.
Jonas 4.1–3 RAStr
1 Com isso, desgostou-se Jonas extremamente e ficou irado. 2 E orou ao Senhor e disse: Ah! Senhor! Não foi isso o que eu disse, estando ainda na minha terra? Por isso, me adiantei, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus clemente, e misericordioso, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e que te arrependes do mal. 3 Peço-te, pois, ó Senhor, tira-me a vida, porque melhor me é morrer do que viver.
Jonas4.1-
Veja o verso 1.
O desgosto de Jonas, sua frustração com o final da história de sua viagem à Nínive, não apenas trouxe desânimo ao seu coração, mas raiva também.
Quando não recebemos o que gostaríamos de receber, o sentimento imediato a inundar nosso coração é a raiva, logo após a frustração.
E não adianta maquiarmos nosso coração, achando que somos melhores que Jonas, que nunca ficaremos irritados com Deus. Basta chegar a hora em que nosso coração quiser demais alguma coisa e Deus nos disser "não", que veremos se somos muito diferentes de Jonas. E digo mais, é só esperarmos chegar a hora em que Deus nos dará o absoluto contrário do que desejamos, que nosso coração sentirá muito mais do que frustração. Sentiremos raiva de Deus.
Com isso eu não digo que ficaremos para sempre irados com Deus. Não creio que Jonas tenha morrido com raiva de Deus. Não creio que o Senhor o honraria com sua história na Bíblia e nem mesmo que o Senhor Jesus se compararia com Jonas () como um sinal da graça de Deus para a sua geração, se Jonas não tivesse terminado sua vida de modo diferente de como a vemos no livro de Jonas.
Por isso, creio que o resultado final dos conselhos de Deus para Jonas, finalmente, transformaram o coração deste profeta. Por isso sua história está aqui.
No verso 2, encontramos a oração do frustrado.
Jonas 4.2 RAStr
2 E orou ao Senhor e disse: Ah! Senhor! Não foi isso o que eu disse, estando ainda na minha terra? Por isso, me adiantei, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus clemente, e misericordioso, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e que te arrependes do mal.
Jonas resumo o livro todo nesta pequena lamentação. "O Senhor sabe porque eu fugi?".

"O SENHOR SABE PORQUE EU FUGI?"

Muitas vezes, nosso coração sabe que Deus não nos dará o que estamos a pedir. Mas, mesmo assim, insistimos.
Ou, olhando de um outro prisma, muitas vezes sabemos o que Deus tem para nós, ou espera de nós, mas, mesmo assim, agimos de forma diferente de como deveríamos, e oramos contrariamente àquilo que sabemos ser o certo.
Para que entendamos ainda mais a frustração de Jonas, vamos entender como eram as pessoas que moravam naquela cidade.

A CIDADE

Jonas sabia o que Deus faria com aquela cidade-estado na qual moravam cerca de 600.000 pessoas. Em Deus diz que moravam lá 120.000 pessoas que não sabiam discernir entre a mão direita e a mão esquerda.
Jonas 4.11 RAStr
e não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive, em que há mais de cento e vinte mil pessoas, que não sabem discernir entre a mão direita e a mão esquerda, e também muitos animais?
Muitos comentaristas bíblicos, como Roy Zuck, John Walvoord, e outros, acreditavam que esta expressão dizia respeito somente às crianças que moravam em Nínive. Crianças muito pequenas que ainda eram incapazes de saber o que é direita e esquerda.
Se esta interpretação estiver correta (e eu penso que esteja), podemos facilmente subir o número de habitantes para cerca de 500.000 a 600.000 pessoas. Isso incluía tanto os que moravam dentro dos muros da cidade, quanto os que moravam na área rural, como fazendeiros, pescadores, etc.
Nínive era a capital do Império Assírio. Em , ela é chamada de "a grande cidade de Nínive".
Jonas 1.2 RAStr
Dispõe-te, vai à grande cidade de Nínive e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até mim.
Certamente, ela era grande em tamanho, em população, mas também grande em pecado, em maldade, em violência. As pessoas ali era arrogantes e suas mãos estavam o tempo todo cheias de sangue.
Em , lemos o decreto do rei de Nínive que dizia:
Jonas 3.8 RAStr
mas sejam cobertos de pano de saco, tanto os homens como os animais, e clamarão fortemente a Deus; e se converterão, cada um do seu mau caminho e da violência que há nas suas mãos.
O próprio rei reconhece que seus súditos viviam em caminhos maus e que em suas mãos a violência estava sempre presente. Em , Deus diz o que aconteceria com ela por causa da arrogância de suas ações.
Sofonias 2.15 RAStr
Esta é a cidade alegre e confiante, que dizia consigo mesma: Eu sou a única, e não há outra além de mim. Como se tornou em desolação, em pousada de animais! Qualquer que passar por ela assobiará com desprezo e agitará a mão.
Os moradores dessa cidade eram conhecidos no mundo como pessoas do mal, cheias de violência e orgulho. Eles se achavam invencíveis. O profeta Naum escreveu sobre eles com mais detalhes. Veja ,,,,.
Naum 3.1 RAStr
Ai da cidade sanguinária, toda cheia de mentiras e de roubo e que não solta a sua presa!
Naum 3.1 RAStr
Ai da cidade sanguinária, toda cheia de mentiras e de roubo e que não solta a sua presa!
Naum 3.3–4 RAStr
3 os cavaleiros que esporeiam, a espada flamejante, o relampejar da lança e multidão de traspassados, massa de cadáveres, mortos sem fim; tropeça gente sobre os mortos. 4 Tudo isso por causa da grande prostituição da bela e encantadora meretriz, da mestra de feitiçarias, que vendia os povos com a sua prostituição e as gentes, com as suas feitiçarias.
Naum 3.10 RAStr
Todavia, ela foi levada ao exílio, foi para o cativeiro; também os seus filhos foram despedaçados nas esquinas de todas as ruas; sobre os seus nobres lançaram sortes, e todos os seus grandes foram presos com grilhões.
Naum 3.4 RAStr
Tudo isso por causa da grande prostituição da bela e encantadora meretriz, da mestra de feitiçarias, que vendia os povos com a sua prostituição e as gentes, com as suas feitiçarias.
Naum 3.16 RAStr
ainda que fizeste os teus negociantes mais numerosos do que as estrelas do céu, o gafanhoto devorador invade e sai voando.
Naum 3.16 RAStr
ainda que fizeste os teus negociantes mais numerosos do que as estrelas do céu, o gafanhoto devorador invade e sai voando.
Naum 3.19 RAStr
Não há remédio para a tua ferida; a tua chaga é incurável; todos os que ouvirem a tua fama baterão palmas sobre ti; porque sobre quem não passou continuamente a tua maldade?
Cidade sanguinária, cheia de mentiras, cheia de roubos, uma multidão de pessoas crucificadas, decapitadas por espadas flamejantes, massas de cadáveres nas ruas empilhados, gente tropeçando sobre mortos ao andar pelas ruas, prostituição, escravidão, feitiçaria, pessoas despedaças pelas ruas, corpos sem cabeça, sem braços, sem pernas, cabeças sem orelhas, e, o pior e tudo, em todo o mundo, alguém já havia sofrido nas mãos de um ninivita.
Alguns historiadores chegam a afirmar que na entrada de Nínive cadáveres ficavam permanentemente pendurados como um sinal de "Boas Vindas" para aqueles que visitavam a cidade - para que soubessem onde estavam entrando e não trouxessem problemas durante a passagem pela cidade.
The Bible Knowledge Commentary The City of Nineveh

Nineveh was the capital of one of the cruelest, vilest, most powerful, and most idolatrous empires in the world. For example, writing of one of his conquests, Ashurnaṣirpal II (883–859) boasted, “I stormed the mountain peaks and took them. In the midst of the mighty mountain I slaughtered them; with their blood I dyed the mountain red like wool.… The heads of their warriors I cut off, and I formed them into a pillar over against their city; their young men and their maidens I burned in the fire” (Luckenbill, Ancient Records of Assyria and Babylonia, 1:148). Regarding one captured leader, he wrote, “I flayed [him], his skin I spread upon the wall of the city …” (ibid., 1:146). He also wrote of mutilating the bodies of live captives and stacking their corpses in piles.

Nínive era a capital de um dos impérios mais poderosos, cruéis, e idólatras que já existiram no mundo. Um exemplo disso é uma carta de Ashurnaṣirpal (883-859) a um de seus conquistados:
Eu invadi os picos das montanhas e os capturei. No meio da montanha poderosa, eu os matei; com o seu sangue, eu tingi a montanha até que ela ficasse vermelha como lã… As cabeças de seus guerreiros eu arranquei, e formei com elas um pilar diante de sua cidade; seus jovens e suas donzelas eu queimei no fogo.
John F. Walvoord e Roy B. Zuck, Dallas Theological Seminary, The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures. (Wheaton, IL: Victor Books, 1985).
John F. Walvoord e Roy B. Zuck, Dallas Theological Seminary, The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures. (Wheaton, IL: Victor Books, 1985).
Sobre um líder que ele havia capturado, Ashurnaṣirpal escreveu:
Eu o desfolei e espalhei sua pele pelos muros da cidade...
Será que agora você consegue entender a frustração de Jonas? Do fundo de seu coração, Jonas queria que aquele povo, aquela cidade, fossem todos para o inferno, fossem todos condenados por Deus e sofressem por sua maldade.
Mas, ao invés disso, diante da pregação de Jonas (), a cidade toda se arrependeu e se converteu ao Senhor. E veja como foi sua pregação:
Jonas 3.4 RAStr
Começou Jonas a percorrer a cidade caminho de um dia, e pregava, e dizia: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida.
Eu não preciso dizer que isso foi um milagre, um genuíno avivamento.
Voltando ao verso ,

FRUSTRADO POR NÃO ENTENDER O CUIDADO!

Jonas 4.2 RAStr
E orou ao Senhor e disse: Ah! Senhor! Não foi isso o que eu disse, estando ainda na minha terra? Por isso, me adiantei, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus clemente, e misericordioso, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e que te arrependes do mal.
Jonas sabia quem Deus era (e é, e sempre há de ser).
Clemente, cheio de misericórdia, cheio de graça, que demora para irar-se, cheio de vontade de fazer o bem à humanidade (isso é o que significa "grande em benignidade") e que se entristece, sofre, com o mal (essa é a verdadeira tradução para o final deste verso - arrepende-se do mal é uma péssima tradução do tempo verbal hebraico neste texto).
Frustrado com a salvação dos ninivitas, Jonas pede para morrer. Veja o verso 3 ().
Jonas 4.3 RAStr
Peço-te, pois, ó Senhor, tira-me a vida, porque melhor me é morrer do que viver.

TODO FRUSTRADO PENSA QUE MORRER É MELHOR!

Não é esta a vontade de quem se sente frustrado? "Porque eu vou continuar vivendo?", "Se eu não posso me casar com a pessoa que gostaria, pra que viver?", "Se eu não posso fazer a faculdade com que sempre sonhei, por que continuar a viver?", "Se minha vida não é o que eu gostaria que fosse, por que não dar um fim a ela?", "Se até Deus pensa e age de um modo estranho, diferente de como eu acho que o mundo deveria ser, porque continuar a viver?". Como disse Jonas, "melhor me é morrer do que viver".
Jonas estava frustrado com Deus, com a vida, com rumo com que as coisas estavam andando. Ela acreditava que as coisas deveriam ser diferentes. Ele achava que Deus deveria agir de modo diferente.

Mas, o que Jonas não conseguiu entender é que Deus possui um tempo certo para todas as coisas. E que em todo o tempo, Deus está mostrando a Sua graça, mesmo que nós não consigamos entender.

Aos olhos humanos, os ninivitas deveriam sofrer. O livro de Naum nos mostra como eles eram. Além de tudo o que já foi dito, eles foram o império mais idólatra que já existiu.
Haviam templos dedicados aos deuses Nabu, Asur e Adad, além de serem profundos devotos de Ishtar (nome que os assírios davam a Semíramis, uma das criadoras da religião babilônica, mãe e esposa de Ninrode), considerada a deusa do amor e da guerra.
John F. Walvoord e Roy B. Zuck, Dallas Theological Seminary, The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures. (Wheaton, IL: Victor Books, 1985).
No tempo de Deus, a cidade de Nínive seria destruída em agosto de 612 a.C., sob o comando de povos citas, medos e babilônicos. Jonas profetivou por volta de 760 a.C., ou seja, cerca de 150 anos antes da destruição final da cidade.
(INTRODUÇÃO À NAUM) John F. Walvoord e Roy B. Zuck, Dallas Theological Seminary, The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures. (Wheaton, IL: Victor Books, 1985).
A resposta aos anseios de Jonas e de toda a nação de Israel chegaria no tempo certo, e o tempo certo não era o tempo de Jonas.
Com isso, aprendemos que Deus tem o tempo certo para realizar todas as coisas, e, em todo o tempo, Deus está agindo revelando sua graça.

CONCLUSÃO: Como dar glória a Deus na frustração?

Mesmo quando não entendemos o agir de Deus, mesmo quando ele está agindo de forma contrária à nossa vontade, Deus continua a agir de modo gracioso.
Às vezes, você e eu não conseguiremos dar glória a Deus pela resposta que Ele nos deu. Jonas não deu glória a Deus pela salvação dos ninivitas.
Pode acontecer de nós só entendermos o agir de Deus quando chegarmos ao céu, onde, enfim, daremos glória a Deus por Ele não ter nos dado aquilo que tanto queríamos.
O que Deus espera que saibamos por meio do livro do profeta Jonas é que Ele está no controle de tudo, ele sabe de tudo, e tudo acontecerá conforme a Sua justiça, a Sua graça e no Seu tempo.
Ele espera que, sabendo disso, possamos glorificá-lo não apenas quando Sua resposta for aquilo que pedimos, mas também quando recebermos o oposto do que pedimos.
Deus é bom, e todo poderoso. Se não nos dá algo, ou se Ele decide nos tirar algo, ainda que não entendamos, Ele o faz para o nosso bem. No final, entenderemos tudo. No final, daremos glória entendendo o porque dos "nãos" de Deus.
Porque não darmos glória a Deus desde já? Porque aguardarmos pelo céu se sabemos que o nosso Deus faz com que todas as coisas cooperem para o bem daqueles que o amam?
Quando frustrados, desanimados, abatidos, que possamos glorificar ao Senhor, cientes de que Ele é nosso pai e sabe o que está fazendo. Ele sabe porque está nos dando o que pedimos, e porque está nos negando o que tanto queríamos.
O Deus que nos salvou está cuidando de nós. O Deus que nos salvou está atento a cada detalhe, a cada passo, a cada segundo de nossa vida. Ele é um Pai, um Deus, um Sentinela que nunca dorme, nem cochila.
Por isso, quer comamos, quer bebamos, quer recebamos bênçãos de Deus, ou quer recebamos sonoros "nãos" de nosso Senhor, que em tudo estejamos dando glória ao nosso Deus. Amém?
RELATED MEDIA
See the rest →
RELATED SERMONS
See the rest →