Faithlife
Faithlife

O chamado dos doze

Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 1 view
Notes & Transcripts

Introdução

Jesus chama doze para serem seus discipulos mais intimos.
Segundo a psicologia os seres humanos podem ter varios relacionamentos, mas só podemos nos relacionar de uma maneira mais intima com doze pessoas. Trocar experiencias mais profundas, conversar mais, falar dos problemas e passar mais tempo com estes.
No ensino o aprendizado depende das metas estabelecidas pelo professor:
Se um professor tem como meta apenas passar informação o auditorio pode ser de um ou oitocentos até pela tv o aprendizado será o mesmo, porém aprendizado minimo.
Uma classe de doze para quinze estudantes permite ao professor prestar atenção no pessoal aos estudantes e permite aos estudantes interagir e aprender um de outro.
Porém a escolha dos doze tem um significado mais profundo. Bem sabemos que doze é o numero das tribos de Israel. Estas iniciaram a nação escolhida da primeira aliança. Agora Jesus esta inaugurando o reino de Deus e estabelecendo uma nova aliança. Estes doze são designados para proclamar e estabelecer o reino de Deus. Para criação do novo povo de Deus.
Jesus convida os candidatos e escolhe os doze em cima do monte.
Os mares são para solidão e renovação, as montanhas são para planejamento e tomada de decisão.
Do monte Deus promulgou a lei
Do monte Jesus Deu real sentido da Lei
No monte Jesus subiu para orar
No monte Jesus escolhe doze discipulos
Nos padrões da seleção de liderança, os doze discípulos são uma tripulação variegada. Na melhor das hipóteses, foram meio modestos, limitados na instrução, e obscuros na identidade. Reze dizem-me, alguém poderia perguntar, o que têm à oferecer? A resposta volta à sua chamada original de Jesus, “Siga-me”. Os discípulos preparam-se como homens dignos de confiança, educáveis, e orientados à tarefa. Estas qualificações chegam ao potencial de liderança dos discípulos sobre os quais Jesus é disposto a arriscar o futuro da Sua mensagem e O seu ministério. Carl F. H. Henry põe-no tão sucintamente, “Deus é o maior jogador na história humana. Apostou o futuro da nossa redenção sobre um carpinteiro e A sua pequena banda de pescadores”.
Marcos 3.13–19 A Escolha dos Doze (Cf. Mateus 10.1–4; Lucas 6.12–16)

“Vocês não me escolheram, mas eu os escolhi e os enviei, para irem e darem frutos…” (Jo 15.16)

designados para uma função tripla...

Estar com Jesus

Marcos 3.13–19 A Escolha dos Doze (Cf. Mateus 10.1–4; Lucas 6.12–16)

Associação e educação. Ele os designou, antes de tudo, para passarem tempo com o Mestre, vendo-o e escutando-o, e aprendendo tudo aquilo que o Mestre quis que eles aprendessem. Para os discípulos, tal associação significou educação.

O seu objetivo é ensinar aos discípulos o conteúdo das Boas novas, que incluem história bíblica e profecia bem como novos princípios de reino. O seu método deve instrui-los por parábolas em público com a interpretação no privado. A sua meta docente é igualmente específica. Jesus espera que Os seus discípulos o conheçam como o Filho do Deus que serve, o Filho do Homem que salva, e o Senhor que reina. Saberão que é o Messias.
Prova por experiência.
Os Doze, por isso, foram dados uma relação pessoal especial com Jesus pelo qual compartilharam na sua vida e ministério
Problema: Muitos buscam ficar perto de Cristo da maneira errada...
O que entendemos por relacionamento intimo com Deus?
A Federação Pagã de Grã-Bretanha, que representa druidas e bruxas, diz os Programas de TV Buffy o Matador de Vampiro e Sabrina a Bruxa Adolescente forneceu de combustível um rapido interesse crescente na feitiçaria entre crianças. As médias de organização cem interrogações por mês de crianças que querem tornar-se bruxas. Em setembro, a federação marcou o seu oficial dos jovens único para aconselhar jovens.
Um porta-voz da federação disse que o seu grupo enche uma necessidade espiritual, apanhando a bastão deixada pela igreja cristã.
— Tracy Dawn, ligada (outubro de 2000)
— Tracy Dawn, ligada (outubro de 2000)

Ser enviado por Jesus

Marcos 3.13–19 A Escolha dos Doze (Cf. Mateus 10.1–4; Lucas 6.12–16)

Missão. Em segundo lugar, e em estreita relação com o item anterior, ele os designou como proclamadores. Os recebedores devem se tornar doadores. Os discípulos precisam se transformar em apóstolos. Eles precisam proclamar a mensagem da salvação por meio de Jesus Cristo. Em certo sentido, eles estavam investidos de sua [de Jesus] autoridade. Tão real era essa autoridade que Jesus diria mais tarde: “Aquele que os recebe, me recebe, e aquele que me recebe, recebe aquele que me enviou” (Mt 10.40). Cf. Marcos 6.11; João 20.21–23. Eles foram primeiramente enviados para as ovelhas perdidas da casa de Israel (Mt 10.5–6); mais tarde, para todas as nações (Mt 28.19) e para todo o mundo (Mc 16.15).

Problema: Muitos não querem ir
Com medo testemunhar
Na preparação para este livro, falei com muitas pessoas, e a questão de medo sobe a frente muitas vezes. O que faz pessoas hesitar em compartilhar a sua fé? Aqui estão alguns medos que me foram mencionados:
• “Tenho medo que poderia fazer mais mal do que bem”.
• “Não sei que dizer”.
• “Posso não ser capaz de dar respostas rápidas a perguntas enganadoras”.
• “Posso parecer intolerante”.
• “Posso invadir o isolamento de alguém”.
• “Tenho medo que poderia reprovar”.
• “Tenho medo poderia ser hipócrita”.
Possivelmente o medo mais comum, contudo, é aquele de ser rejeitado. Uma pesquisa foi dada aos que assistem a sessões de treino da cruzada de Billy Graham na Detroit. Uma pergunta feita, “Qual a sua maior dificuldade para testemunhar?”
• Nove por cento disseram que foram demasiado ocupados para lembrar-se de fazê-lo.
• Vinte e oito por cento sentiram a falta da verdadeira informação para compartilhar.
• Nenhum disse que realmente não se preocuparam.
• Doze por cento disseram que as suas próprias vidas não falavam como devem.
• Mas de muito o maior grupo foi 51 por cento cujo problema maior foi o medo de como outra pessoa reagiria! Nenhum de nós gosta de ser rejeitado, ridicularizado ou considerado como um estranho.
Boas notícias são para Repartir, Leighton Ford, 1977, David C. Cook Publishing Co., p. 15

Exercer Autoridade de Jesus

Marcos 3.13–19 A Escolha dos Doze (Cf. Mateus 10.1–4; Lucas 6.12–16)

Expulsão de demônios. Em terceiro lugar, Jesus os comissionou para terem114 autoridade (o direito e o poder) de expelir demônios. Para possessão demoníaca, veja 1.23.

Restauração do corpo – cura e ressuscitação – também estava incluída, como Mateus 10.8 nos mostra.

Problema: Muitos duvidam
RELATED MEDIA
See the rest →
RELATED SERMONS
See the rest →